Redes

Allan Kardec

domingo, 1 de julho de 2012

Um Tur No Ultimo Dia de Festa em Itaporanga
Por REYNOLLDS AUGUSTO em 30-06-2012

Em junho, de cada ano, a cidade de Itaporanga fica festiva e os seus filhos retornam à terra mãe para se divertirem e matarem as saudades de um tempo que não volta mais. É a vida em movimento. As impressões vividas nunca mais retornarão, mas permanecem no subjetivismo interior. Cada momento uma experimentação, no espetáculo da vida, que não cessa.

Confesso a vocês que á época do velho campestre de guerra, a diversão era melhor, mais familiar e nós nos divertíamos com mais propriedade. O meu Tio Carlito, agora na pátria espiritual, nossa verdadeira casa, um boêmio por natureza, meses antes das festas, tinha por hábito adquirir as mesas principais, perto do palco, para que pudesse, junto com a família bonita que tinha e que tem, apreciar as atrações nacionais como, O Trio Nordestino, Os três do Nordeste, O velho Luiz Gonzaga, a nossa conterrânea Elba Ramalho e tudo mais...

Veio-me à mente a imagem do velho Deassis Leite e sempre me recordo daquele seu sorriso largo. O homem dançava um forró, como ninguém, com a sua esposa Lourdinha, que o tempo parece não ter conseguido arrefecer a beleza. O tempo é generoso com algumas pessoas.

Foi lá que o danado do cupido me flechou profundo. E no intenso da alma fui atraído aos braços da mulher amada, que hoje nos “renderam” três lindas filhas: duas gêmeas, uma galega e uma morena; e uma de quatro anos, linda como o Pai. Sem falsa modéstia.

Hoje, também, bati um belo papo, pela rede, com uma amiga do passado e que surgiu no Face. Hoje, estamos todos juntos emaranhados pela tecnologia e o mundo se transformou em uma aldeia global. Estou me referindo a Tácita, prima dos amigos Everaldo, que hoje está na Alemanha e de Maurílio, que também localizei no Face. Tácita sempre foi uma loura linda e arrancava suspiros da molecada da época. O tempo, também, não matou a beleza da linda galega. Conversamos muito e falamos dos nossos dramas pessoais, que são ferramentas da evolução. A dor é um convite ao equilíbrio e depois da tempestade o ar sempre fica mais puro. Fiquei feliz quando ela me confessou ter se tornado espírita, pois o Espiritismo nos ajuda a viver em ilusões.

O meu amigo Titico Pedro, também irmão de ideal espírita, estava passando certa dificuldade técnica, no Titico explica de Hoje, que tratou do descaso dos nossos políticos no que diz respeito à implantação do IFPB, que está na contagem regressiva para se despedir de Itaporanga e não voltar mais e tudo por causa de uma “mísera” escritura. É triste morrer na praia e se isso acontecer será um estigma político, que jamais se apagará no histórico de todos esses que são candidatos a cargos eletivos e que ficam por aí usando a capa do “bom moço” e que estão preocupados com a nossa Terra. Fogos e mais fogos, para sobreavisar os eleitores que eles estão no pedaço.

SÓ FALTAM 4 DIAS E MEIO. Triste episódio para a história de Itaporanga e do Vale do Piancó.

Como bom amigo que sou fui ajudá-lo, tecnicamente, para que ele desse o seu recado. LI a Carta do Dr. RIDELSON, um dos professores do IFPB, dizendo que apesar de ser filho de Itaporanga, se logo-logo o reitor não estiver com a escritura na mão, por uma questão de cronograma do Ministério da Cultura, a instituição pode ser levada a outro município, pois houve um ajuste entre o Ministério da Cultura, o Estado e o Município que envidariam os esforços para que o terreno, em tempo hábil, passasse às mãos do reitor. E o pior de tudo é o silêncio dos setores sociais. Titico, coitado, está com a pressão alterada, pelo descaso. Disse a ele para se equilibrar, pois se perdemos o IFPB, perdido está, e que os “santos” da política, tentem explicar a sociedade a falta de compromisso com a nossa terra.


Mas bom mesmo foi à noite. Fui ao Centro Espírita Jesus de Nazaré ouvir uma daquelas belas palestras realizada pelo NETO BATISTA. O homem fala bem e fala o que realmente interessa. Antes, e fiquei surpreso, ouvi o EXÓRDIO da sua filha ISABELE, linda como a mãe. A garota fala bem como o Pai. Também, filha de peixinho...

E o melhor de tudo é que a FEP-TV transmitiu para o mundo a bela palestra da noite e eu que não sou besta abri o face e espalhei. Resultado: muitos itaporanguenses espalhados pelo mundo também assistiram, na comodidade do seu lar, a exemplo de MONAISA CAIANA, que reside em PORTUGAL. De Itaporanga para o mundo.




O Grupo FEIXE DE LUZ, com DANIEL, PABLINA, THAYS E CAMILA, cantou para os presentes.

Fui ao forró e cheguei ao momento em que estava cantando o grande Saulo. Muita gente na rua. Não dava para dançar. Senti saudades do Campestre. A garotada toda, se divertindo sem parar. O São Pedro virou festa de adolescente, pois só eles conseguem encarar aquela multidão e ainda se divertirem.

Dirigi-me a rua da arte e visitei o espaço da ALCAITA. A mostra estava florida de livros. Dois grandes escritores , DEMIR CABRAL E DOUTOR LISBOA, estavam divulgando os seus trabalhos. Divulgar a cultura é um grande desafio e fornecer luz, para que se disperse a sobra da ignorância, é para missionários. Parabenizo todos os seus sócios por intermédio desses dois formadores de opinião.

Por fim ,fui prestigia o movimento da Igreja Batista, coordenado pela Pastora Selma, lá no começo da avenida, chamado “SEM JOÃO E COM JESUS” e gostei do que vi. Muitos Jovens, se divertindo, sem a ilusão do álcool.

É a vida em movimento

O ano que vem tem mais.

E espero que, desta feita, com o IFPB.

 

HORAS

TOTAL DE VISITAS