Google+ Followers

Redes

Allan Kardec

sábado, 21 de janeiro de 2012

Presença do Governador Ricardo Coutinho na Palestra de Divaldo Franco

O governador Ricardo Coutinho prestigiou a palestra do médium e conferencista de nível internacional Divaldo Franco, neste sábado à noite (14.1), na Federação Espírita Paraibana. O evento fez parte do início das comemorações dos 96 anos da instituição, que acontecerá próxima terça-feira (17/01).

Divaldo Franco ministrou um seminário sobre Transição Planetária, no domingo (15). Mais de mil pessoas assistiram à palestra, distribuídas num auditório principal superlotado, necessitando providenciar mais outro mini-auditório com telão para acolher a demanda.


Foi considerável o número de comitivas de outros estados e cidades paraibanas, que se deslocaram especialmente para participar do evento. Tinha gente de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, e outras cidades paraibanas.
Na ocasião, a FEPB ofereceu uma placa para o ex-presidente da Federação Espírita Paraibana, Laurindo Cavalcanti (in memorian), entregue por Divaldo Franco ao sobrinho do homenageado, Ivaldo Mário (foto), que representou a família. O presidente da FEPB, José Raimundo de Lima, destacou a relevância que foi Laurindo para a difusão da Doutrina Espírita na Paraíba.
Primeira-dama, Pâmela Bório, Divaldo Franco, José Raimundo (presidente da FEPB) e governador Ricardo Coutinho


Fátima Farias - Assessora de Comunicação Social da FEPB

Seminário no sábado pela manhã com representante da Federação Espírita Brasileira, Coordenadores e Presidentes das casas espíritas da Paraiba.

Representante da Federação Espírita Brasileira

José Campos - Cooerdenador do movimento espírita do Vale do Piancó
Apresentação Artística

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

O ABRAÇO


Estudos têm revelado que a necessidade de ser tocado é inata no homem. O contato nos deixa mais confortáveis e em paz.
O Dr. Harold Voth, psiquiatra da Universidade de Kansas, disse: O abraço é o melhor tratamento para a depressão.
Objetivamente, ele faz com que o sistema imunológico do organismo seja ativado.
Abraçar traz nova vida para um corpo cansado e faz com que você se sinta mais jovem e mais vibrante.
No lar, um abraço todos os dias reforçará os relacionamentos e reduzirá significativamente os atritos.
Helen Colton reforça este pensamento: Quando a pessoa é tocada, a quantidade de hemoglobina no sangue aumenta significativamente. Hemoglobina é a parte do sangue que leva o suprimento vital de oxigênio para todos os órgãos do corpo, incluindo coração e cérebro.
O aumento da hemoglobina ativa todo o corpo, auxilia a prevenir doenças e acelera a recuperação do organismo, no caso de alguma enfermidade.
É interessante notar que reservamos nossos abraços para ocasiões de grande alegria, tragédias ou catástrofes.
Refugiamo-nos na segurança dos abraços alheios depois de terremotos, enchentes e acidentes.
Homens, que jamais fariam isso em outras ocasiões, se abraçam e se acariciam com entusiasmado afeto, depois de vencerem um jogo ou de realizarem um importante feito atlético.
Membros de uma família, reunidos em um enterro, encontram consolo e ternura uns nos braços dos outros, embora não tenham o hábito dessas demonstrações de afeição.
O abraço é um ato de encontro de si mesmo e do outro. Para abraçar é necessário uma atitude aberta e um sincero desejo de receber o outro.
Por isso, é fácil abraçar uma pessoa estimada e querida. Mas se torna difícil abraçar um estranho.
Sentimos dificuldade em abraçar um mendigo ou um desconhecido. E cada pessoa acaba por descobrir, em sua capacidade de abraçar, seu nível de humanização, seu grau de evolução afetiva.
É natural no ser humano o desejo de demonstrar afeição. Contudo, por alguma razão misteriosa, ligamos ternura com sentimentalidade, fraqueza e vulnerabilidade. Geralmente hesitamos tanto em abraçar quanto em deixar que nos abracem.
O abraço é uma afirmação muito humana de ser querido e de ter valor.
É bom. Não custa nada e exige pouco esforço. É saudável para quem dá e quem recebe.
* * *
Você tem abraçado ultimamente sua mulher, seu marido, seu pai, sua mãe, seu filho?
Você costuma abraçar os seus afetos somente em datas especiais?
Quando você encontra um amigo, costuma cumprimentá-lo simplesmente com um aperto de mão e um beijo formal?
A emoção do abraço tem uma qualidade especial. Experimente abraçar mais.
Vivemos em uma sociedade onde a grande queixa é de carência afetiva.
Que tal experimentar a terapia do abraço?

Redação do Momento Espírita, a partir de adaptação do texto A importância do abraço, do Prof. Jorge Luiz
Brand e Rolando Toro Araneda, Biodança, coletânea de textos.
Disponível no livro Momento Espírita, v. 2, ed. Fep.
Em 05.12.2011

HORAS

TOTAL DE VISITAS