Google+ Followers

Redes

Allan Kardec

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Mensagem aos evangelizadores

   Queridos irmãos!
   Todos vocês se prepararam para realizar a evangelização das almas na Terra.
   Nosso bondoso Pai enviará junto a cada um, um irmão mais experiente e dedicado, a fim de lhes auxiliar no cumprimento das suas tarefas.
   O trabalho não será fácil e muito menos reconhecido pela maioria.
   As forças inferiores tentarão desviá-los deste caminho abençoado, mas todos possuem dentro de si, a força necessária para vencê-las.
   Mantenham a fé, através deste trabalho terão oportunidade de redimir-se de seus erros, ajudarão a acender as luzes das almas aflitas e os maiores beneficiados serão vocês.
Lembrem-se que as crianças com aparência angelical, são espíritos milenares, com muitos débitos, mas também com o germe da perfeição a ser desenvolvido e despertado pela dedicação de cada um.
Somente o amor poderá sensibilizar as crianças.
   Elevem suas vibrações a fim de que o ambiente possa ser impregnado por nós de energias salutares e reconfortantes.
   Caso contrário, as crianças não conseguirão sintonia, impedindo nossa intervenção.
   Não desanimem! Procurem sempre a união! Quando precisarem de auxílio, estaremos em contato mais direto através da prece.
   Utilizem este recurso valioso para se reestabelecerem de energias.
   No momento oportuno serão convidados a evangelizar. Pensarão que foi ao acaso, mas aos poucos sentirão aflorar a preparação aqui realizada.
   Quem é evangelizador já reencarna com esta incumbência.
Eu, assim como Nosso Pai, confio em vocês!
   Sigam em frente! O trabalho os aguarda.

   Fiquem em paz!

Texto: Liamara Nascimento - Voz: Jonas DemeneghiGrupo Espírita Seara do Mestre 

domingo, 26 de dezembro de 2010

Mais um Natal Realizado pelo C. E. Jesus de Nazareth

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
        O Centro Espírita Jesus de Nazareth comemorou, neste dia 25 de dezembro de 2010, mais um Natal com distribuição de centenas de quentinhas e brinquedos para as crianças. Esse evento é realizado a mais de trinta anos com iniciativa do casal Fernão e Maria a quem devemos os nossos aplausos de gratidão, lembrando o apóstolo da caridade Paulo, caridade é o amor em ação, não basta somente doar é preciso se doar para que a caridade aconteça de fato e esse trabalho é feito todos anos por estes continuadores com amor a quem tambem merecem os aplausos.

DUAS IRMÃS


     Você, leitor amigo, espírita esclarecido, certamente está consciente de que o exercício da caridade é fundamental, base de nossa edificação como filhos de Deus.
     Mas há um detalhe para o qual peço sua reflexão: é impossível praticar verdadeiramente a caridade, sem um componente básico, sem que esteja acompanhada de sua dileta irmã – a humildade. O médico recebe um cliente abastado e lhe dá toda a atenção, numa consulta de duas horas. Em seguida recebe um paciente do SUS, o que equivale a um ato de caridade, já que a remuneração é irrisória. Mas, sem a humildade que o inspire a não discriminar ninguém, consciente de que todos somos iguais perante Deus, tratará de despachá-lo rapidinho, à distância do comportamento caridoso. Nota-se esse problema em serviços de filantropia. Há voluntários que não se misturam com os assistidos, impondo um distanciamento e se limitando a elementares rotinas de atendimento. Outros confraternizam, conversam, interessam-se por suas dificuldades e problemas, porque vêem nos assistidos seus iguais perante Deus. Missionários como Chico Xavier, Francisco de Assis, Cairbar Schutel, madre Tereza de Calcutá, situaram-se por campeões da caridade porque eram campeões da humildade.
Richard Simonetti

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Descoberta triplica o número de estrelas no universo

Cientistas descobrem que existem 20 vezes mais anãs vermelhas em outras galáxias do que na Via Láctea

     Astrônomos descobriram que as estrelas conhecidas como 'anãs vermelhas' — pequenas e de luz fraca — são muito mais comuns no universo do que se imaginava. Tão comuns que o número total dessas estrelas pode ser três vezes maior do que as estimativas indicavam.
     Os cientistas não conseguiam detectar anãs vermelhas fora da Via Láctea — a galáxia onde vivemos —, porque elas emitem uma luz muito fraca. Para resolver o problema, astrônomos utilizaram instrumentos poderosos do Observatório Keck, no Havaí (EUA), para detectar o sinal fraco enviado pelas anãs vermelhas em oito galáxias relativamente próximas à Via Láctea.
     A equipe da Universidade de Yale (EUA), liderada pelo astrônomo Pieter van Dokkum, descobriu que existem vinte vezes mais anãs vermelhas em galáxias elípticas do que na Via Láctea. A observação surpreendeu os cientistas, porque até agora a ciência encarava essas galáxias distantes como semelhantes à nossa.
     Trilhões de 'Terras' — Para contar as estrelas, os cientistas utilizam estimativas baseadas na Via Láctea e suas vizinhas. As contas atuais giravam em torno dos setilhões (o dígito 1 seguido de 24 zeros) de estrelas. Seja qual for o número exato, agora, os astrônomos acreditam que ele pode ser três vezes maior do que se pensava, devido ao grande número de anãs vermelhas.
     Além de triplicar o número de estrelas do universo, Dokkum explica que a estimativa de planetas orbitando estrelas também aumentou. Isso quer dizer que a probabilidade de existirem planetas como a Terra são maiores do que se imaginava. "É possível que existam trilhões de 'Terras' orbitando essas estrelas", afirmou Dokkum.

     Deus povoou de seres vivos os mundos, concorrendo todos esses seres para o objetivo final da Providência. Acreditar que só os haja no planeta que habitamos fora duvidar da sabedoria de Deus, que não fez coisa alguma inútil. Certo, a esses mundos há de ele ter dado uma destinação mais séria do que a de nos recrearem a vista. Aliás, nada há, nem na posição, nem no volume, nem na constituição física da Terra, que possa induzir à suposição de que ela goze do privilégio de ser habitada, com exclusão de tantos milhares de milhões de mundos semelhantes. (L.E.Pluralidade dos Mundos Habitados perg. 55).
   Ainda há pessoas que acreditam que somos os únicos!!


domingo, 5 de dezembro de 2010

Evento em Itapetim-PE

Free Image Hosting at www.ImageShack.us
No ultimo dia 27 de novembro 2010 (sábado passado), o CEJN representado por Jardel Carlos, que teve participação como orador da noite no Lar Espírita Fabiano de Cristo (Itapetim-PE), e no domingo pela manhã apresentação do seminário "O Passe na Casa Espírita" ministrado por Raimundo Nonato (União Espírita, Patos-PB), desfrutamos de belos momentos de confraternização em torno do trabalho e do apredizado. Como notamos na foto, lá também teve a necessidade de ampliação para acomodar mais pessoas e as atividades, isso nos mostra a atual realidade no movimento espírita, ele está crescendo

EVANGELHO NO LAR

Está retornando, nesta quinta dia 9 de dezembro, a campanha do evangelho nos lares a quem nos receber ou solicitar. Nesta atividade levamos aos lares dos trabalhadores espíritas e de quem quiser, as reflexões da mensagem do Cristo. Contamos com sua colaboração.
 Vamos amparar essa ideia!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

REFORMADOR

O significado do Natal para os espíritas


Marta Antunes Moura

     Natal é comemorado no dia 25 de dezembro porque a data foi retirada de uma festa pagã muito popular existente na Roma antiga, e que fora oficializada pelo imperador Aureliano em274 d. C. A finalidade da festa era homenagear o deus sol Natalis Solis Invicti (Nascimento do Sol Invicto) considerado a primeira divindade do império romano e festejar o início do solstício de inverno.
     Com o triunfo do Cristianismo, séculos depois, a data foi utilizada pela igreja de Roma para comemorar o nascimento do Cristo (que, efetivamente, não ocorreu em 25 de dezembro), considerado, desde então, como o verdadeiro “sol” de justiça. Com o passar do tempo, hábitose costumes de diferentes culturas foram incorporados ao Natal, impregnando o de simbolismo: a árvore natalina, por exemplo, é contribuição alemã, instituída no século XVI, com o intuito de reverenciar a vida, sobretudo no que diz respeito aos pinheiros, que conservam a folhagem verde no inverno; o presépio foi ideia de Francisco de Assis, no século XIII. As bolas e estrelas que enfeitam a árvore de Natal representam as primitivas pedras, maçãs ou outros elementos com que no passado se adornavam o carvalho, precursor da atual árvore de Natal.
     Antes de serem substituídas por lâmpadas elétricas coloridas, as velas eram enfeites comuns nas árvores, como um sinal de purificação, e as chamas acesas no dia 25 de dezembro são uma referência ao Cristo, entendido como a luz do mundo. A estrela que se coloca no topo daárvore é para recordar a que surgiu em Belém por ocasião do nascimento de Jesus. Os cartões de Natal apareceram pela primeira vez na Inglaterra, em meados do século XIX. Os espíritas veem o Natal sob outra ótica, que vai além da troca de presentes e a realização do banquete natalino, atividades típicas do dia. Já compreendem a importância de renunciar às comemorações natalinas que traduzam excessos de qualquer ordem, preferindo a alegria da ajuda fraterna aos irmãos menos felizes, como louvor ideal ao Sublime Natalício.
     Os verdadeiros amigos do Cristo reverenciam-no em espírito.2 A despeito do relevante significado que envolve o nascimento e a vida do Cristo e sua mensagem evangélica, sabemos que muitos representantes da cristandade agem como cristãos sem o Cristo, porque vivenciam um Cristianismo de aparência.
     Neste sentido, afirmava o Espírito Olavo Bilac que “ser cristão é ser luz ao mundo amargo e aflito, pelo dom de servir à Humanidade inteira”.3 Chegará a época, contudo,em que Jesus, o guia e modelo da Humanidade terrestre,4 será reverenciado em espírito e verdade; Ele deixará de ser visto como uma personalidade mítica, distante do homem comum; ou mero símbolo religioso que mais se assemelha a uma peça de museu, esquecida em um canto qualquer, empoeirada pelo tempo. Não podemos, contudo, perder a esperança. Tudo tem seu tempo para acontecer.
     No momento preciso, quando se operar a devida renovação espiritual da Humanidade, indivíduos e coletividades compreenderão que [...] Jesus representa o tipo da perfeição moral a que a Humanidade pode aspirar na Terra. Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo, e a doutrina que ensinou é a mais pura expressão de sua lei [...].5
     Distanciado dos simbolismos e dos rituais religiosos, o espírita consciente procura festejar o Natal todos os dias, expressando-se com fraternidade e amor ao próximo. Admite, igualmente, que [...] a Doutrina Espírita nos reconduzao Evangelho em sua primitiva simplicidade, porquanto somente assim compreenderemos, ante a imensa evolução científica do homem terrestre, que o Cristo é o sol moral do mundo, a brilhar hoje, como brilhava ontem, para brilhar mais intensamente amanhã.6 Perante as alegrias das comemorações do Natal, destacamos três lições ensinadas pelos orientadores espirituais, entre tantas outras. Primeira, o significado da Manjedoura, como assinala Emmanuel: As comemorações do Natal conduzem-nos o entendimento à eterna lição de humildade de Jesus, no momento preciso em que a sua mensagem de amor felicitou o coração das criaturas, fazendo-nos sentir, ainda, o sabor de atualidade dos seus divinos ensinamentos.
     A Manjedoura foi o Caminho. A exemplificação era a Verdade. O Calvário constituía a Vida. Sem o Caminho,o homem terrestre não atingirá os tesouros da Verdade e da Vida.7 Segunda, a inadiável (e urgente) necessidade de nos aproximarmos mais do Cristo, de forma que o seu Evangelho se reflita, efetivamente, em nossos pensamentos, palavras e atos. Para a nossa paz de espírito não é mais conveniente sermos cristãos ou espíritas “faz de conta”.[...]
     Comentando o Natal, assevera Lucas que o Cristo é a Luz para alumiar as nações.8 Não chegou impondo normas ou pensamento religioso. Não interpelou governantes e governados sobre processos políticos. Não disputou com os filósofos quanto às origens dos homens. Não concorreu com os cientistas na demonstração de aspectos parciais e transitórios da vida. Fez luz no Espírito eterno.
Embora tivesse o ministério endereçado aos povos do mundo, não marcou a sua presença com expressões coletivas de poder, quais exército e sacerdócio, armamentos e tribunais. Trouxe claridade para todos, projetando-a de si mesmo. Revelou a grandeza do serviço à coletividade, por intermédio da consagração pessoal ao Bem Infinito. Nas reminiscências do Natal do Senhor, meu amigo, medita no próprio roteiro.
Tens suficiente luz para a marcha? Que espécie de claridade acendes no caminho? Foge ao brilho fatal dos curtos-circuitos da cólera, não te contentes com a lanterninha da vaidade que imita o pirilampo em voo baixo, dentro da noite, apaga a labareda do ciúme e da discórdia que atira corações aos precipícios do crime e do sofrimento. Se procuras o Mestre divino e a experiência cristã, lembra-te de que na Terra há clarões que ameaçam, perturbam, confundem e anunciam arrasamento...
     Estarás realmente cooperando com o Cristo, na extinção das trevas, acendendo em ti mesmo aquela sublime luz para alumiar?9 Por último é muito importante aprendermos a ser gratos a Jesus pelas inúmeras bênçãos que Ele nos concede cotidianamente, em nome do Pai, como a família, os amigos, a profissão honesta, a vivência espírita etc., sabendo compartilhá-las com o próximo, como aconselha Meimei: Recolhes as melodias do Natal, guardando o pensamento engrinaldado pela ternura de harmoniosa canção...
Percebes que o Céu te chama a partilhar os júbilos da exaltação do Senhor nas sombras do mundo. [...] Louva as doações divinas que te felicitam a existência, mas não te esqueças de que o Natal é o Céu que se reparte com a Terra, pelo eterno amor que se derramou das estrelas. Agradece o dom inefável da paz que volta, de novo, enriquecendo-te a vida, mas divide a própria felicidade, realizando, em nome do Senhor, a alegria de alguém!...10

CFN promove seminários sobre unificação
e 60 anos da “Caravana da Fraternidade”
     Está quase concluída a série dos seminários destinados à Preparação de Multiplicadores para Implementação do Orientação aos Órgãos de Unificação, promovidos pelo Conselho Federativo Nacional da FEB. Falta apenas o seminário da Região Sul, que reunirá as Entidades Federativas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, no dia 13 de novembro, em Curitiba. Em setembro, a equipe da Secretaria-Geral do CFN realizou os seminários, nos dias 4 e 5, em João Pessoa, reunindo a s E n t i d a d e s F e d e r a t i v a s E s t a d u a i s d e Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco; nos dias 11 e 12, em Belém, reunindo as Entidades Federativas Estaduais do Amapá e do Pará; nos dias 18 e 19, em Palmas, reunindo as Entidades Federativas Estaduais de Goiás, Distrito Federal e Tocantins. Nesses eventos foi trabalhado o conteúdo do livro citado e lançada a edição da FEB de A Caravana da Fraternidade, de Leopoldo Machado, em comemoração dos 60 anos 1da “Caravana”, que se iniciou no dia 31 de outubro de 1950. Informações: cfn@febnet.org.br


HORAS

TOTAL DE VISITAS